quinta-feira, 3 de novembro de 2011

não se deixem, artistas, intimidar pelos moldes padronizadores!

«A Arte não tem sistemas, tem emoções. (...) Queremos ser livres! Fugimos aos dogmas do ensino, às imposições dos mestres, e, quando possível, às influências das escolas, porque cremos que os artistas têm uma só escola - a Natureza; um dogma único - o Amor.»

Manuel Bentes, em A Capital de 7/4/1911

2 comentários:

Christian V. Louis disse...

Pois eu não podia concordar mais. A arte está no sangue, nas veias, não é algo que se ensina (se aprimora, claro, por vezes) em escolas, em técnicas. A arte não pode ser estudada friamente. Ela vem do íntimo, da alma, da essência do artista.
Não há porque agradecer ou surpreender-se em estar em meus escritos recomendados. É das escritoras e seu blogue é dos que mais admiro.

Cármen disse...

Christian V. Louis: Uau... muito obrigada!
Mas, sim, era precisamente aí que queria chegar. Não acho que não deva haver escolas de arte, mas acho que as aulas de arte não deveria forçar os alunos a usar determinadas técnicas. Pelo contrário, deveriam mostrar-lhes o maior número de técnicas possível e ajudá-los a encontrá-la a sua, de forma a que a arte que produzem seja fruto do seu íntimo. E há outra coisa que discordo na forma como a arte é dada: a arte só é arte quando provém das emoções ou da intelectualização das mesmas, por isso não acho justo estipular prazos curtos para a entrega de trabalhos. Quem lhes garante a eles que vão ter emoções que lhes permita criar?