quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

utopia, perfeição, tédio

     Não consigo mais. Cheguei ao meu limite de compreensão. Não sei o que vem à frente -- e, sinceramente não sei como descobri-lo, mas também desconheço o interesse que isso pode ter.
     O ceticismo instalado em mim leva-me a crer que cheguei ao fim deste caminho. Não acredito que haja algo mais aqui. Tudo vem e me atravessa, não me marcando minimamente. E isto não pode ser problema meu, não: a minha indiferença em relação a este espaço deve-se à sua impossibilidade de progresso e à inexistência de uma margem de melhoria. A única forma de voltar a descobrir, de continuar, é livrar-me desta barreira, virando ao lado, desistindo -- porque nada está por detrás dela.
     Nunca pensei que a perfeição na concretização de uma utopia pudesse ser tão vazia.

4 comentários:

S. disse...

Que alívio quando li"ficção"...
Nem sabes o que me passou pela cabeça --'

Cármen disse...

S.: O quê? :)

S. disse...

Achei que ias acabar com o blogue :S

Cármen disse...

S.: Nãããão... :D