quinta-feira, 7 de julho de 2011

acima de qualquer outro poder

Harry pensou durante uns momentos e depois perguntou:
- Portanto, se se destruírem todos os Horcruxes, é possível matar o Voldemort?
- Sim, acho que sim - respondeu Dumbledore. - Sem os seus Horcruxes, o Voldemort será mortal, com uma alma mutilada e reduzida. Porém, nunca te esqueças de que, apesar de a sua alma poder ser atingida para além da regeneração, o seu cérebro e os seus poderes mágicos permanecem intactos. Será necessária uma capacidade e um poder invulgares para matar um feiticeiro como o Voldemort, mesmo sem os seus Horcruxes.
- Mas eu não possuo esses poderes - afirmou Harry espontaneamente.
- Possuis, sim - contrapôs Dumbledore com firmeza. - Tu tens um poder que o Voldemort nunca possuiu. Tu consegues...
- Eu sei! - interrompeu Harry impacientemente. - Eu consigo amar!
J. K. Rowling, Harry Potter e o Príncipe Misterioso

20 comentários:

Riga/V-1-Boy disse...

podes nao acreditar, mas nunca vi nenhum filme nem li nenhum livro do harry potter, é como o senhor dos aneis não me consegue chamar a atençao.

ps: entao cm vai a leitura la do estamine?lol

Cármen disse...

Riga/V-1-Boy: Ainda bem que não aderes a febres e modas, nem que lês ou vês algo porque toda a gente o faz. Eu própria me recusava a ler a saga Harry Potter porque não me despertava o interesse, me parecia algo banal e sem criatividade, para além de que estava muito na moda e todos liam e viam, o que me aborrecia imenso. Deram-me um livro e inicialmente li muito contrariada. No entanto, descobri nas minhas mãos a obra literária mais linda que os meus olhos haviam lido e, desde então, tornei-me uma grande fã. Não só é uma história muito inspiradora e criativa (com muita coragem e muita autonomia), como tem também uma mensagem fascinante (que emancipa a justiça, o respeito, a tolerância, a determinação e a fidelidade), uma crítica realista (uma análise dos defeitos da sociedade através da sua representação no mundo da magia, de forma banal) e uma linguagem muito bem organizada, agradável e rica, não obstante acessível. É algo que te recomendo mesmo a experimentar. Relativamente à saga O Senhor dos Anéis nada sei, nunca me despertou a atenção e nunca vi nem li. Mas HP é algo realmente mesmo muito, muito bom. Os livros melhores do que os filmes, na minha opinião. Muito melhores, aliás, tendo em conta que a parte crítica, realista e abstracta (de encarar a realidade, da forma como as personagens se sentem e que pensamentos as dominam) escapam um pouco à cinematografia.
Relativamente ao teu estaminé, ainda não iniciei a minha exploração nessa selva literária. :) Estou a acabar umas coisas (nomeadamente organização e arrumação de objectos cá em casa e de documentos e pastas no computador). Assim que acabar, prometo, começo a dedicar-me ao RigaBossDiaries com paixão.

Riga/V-1-Boy disse...

até ver só tens 978 posts com que te entreter, não há-de ser nada

pois ainda nao me deu na cabeça para o harry, mas é um tipo de história que nao me fascina

Cármen disse...

Riga/V-1-Boy: Rui, tu provavelmente podes achar-me louca, mas esse número não me assusta. :))
E, relativamente ao HP, pode ser mesmo que depois de experimentares não fizesse o teu estilo, mas não o saberás enquanto não o leres... se é por não gostares de fantasia, pode ser que depois continues a não gostar de HP, mas eu também não era grande fã de fantasia até ler HP. HP é algo de extraordinário mesmo, porque, apesar de se incluir na literatura fantástica (por causa de aquilo ser quase tudo com a magia e na comunidade de feiticeiros), aquilo é uma saga muito realista, porque transforma a fantasia em realidade duma forma muito natural e espontânea. É como se nada fosse. :) Aquilo é mesmo giro, eu acho. Experimenta, Rui, e depois diz-me o que achas.

Victória J. Esseker disse...

Eu acho que sou mais Slytherin haha xD Nem todos são maus (a)
De filmes o meu favorito foi o prisioneiro de Azkaban, apesar do livro estar mais completo. A magia não dá para ser toda transportada para o grande ecrã.
Mas para mim, os melhores dos melhores foram os dois últimos livros, eu tinha a sensação que a J.K. Rolling aumentava o nível de "dificuldade" ao longo dos livros e que punha a coisa cada vez mais séria (e realmente punha porque o Harry estava cada vez mais perto do Voldemort), e tipo não só acompanhou o meu crescimento como me fez crescer xD

Não sei se sabes, mas o Harry nasceu no Porto xD

Riga/V-1-Boy disse...

vais comentar de uma ponta á outra? caredo.lol( é que 978 é até ao de amanha que já está agendado, e claro o numero vai subir)

btw se quiseres adiantar serviço e comentar ja os mais recentes tas a vontade

Cármen disse...

Victória J. Esseker: Não, ser ambicioso não é necessariamente ser mau. No entanto, enquanto boa Gryffindor que "sou" (tipo, mas é que sou mesmo, sem qualquer sombra de dúvida ^^;), orgulho-me imenso de o ser, é claro. Não há outra Equipa de quem goste mais, incluindo e louvando até mesmo os defeitos destes leões. Mas sou também muito tolerante e, à medida que fui lendo HP, fui percebendo cada vez mais que não se deve ter em conta a Equipa do feiticeiro para o julgar... que, aplicando à vida real (e é essa a parte mais importante da obra), significa que não devemos, de todo, julgar alguém por palpites e por aquilo que ela nos parece muito ser, porque em toda e qualquer situação podemos estar enganados. :)
E, não, não sabia. :) Tens de me explicar isso. Julgava que era londrino.

Riga/V-1-Boy: Não, vou só comentar quando achar que tenho algo a dizer, como faço em todo e qualquer texto comentável. E, não, tem de estar tudo por ordem.

Riga/V-1-Boy disse...

hum ok, vou escrever mais uns posts, tou curioso para ver o que vais fazer quando começares a encontrar as rubricas =P

Cota disse...

Eu li tudo, Senhor dos Anéis e HP

Mas ninguém falou da mensagem mais importante deste post, a ultima frase.

Estes livros têm pormenores espectaculares...

PS: Claro que és Gryffindor, até porque tem como símbolo um Leão, hum, muito bom xD

Riga/V-1-Boy disse...

olha das rubricas acho que so nao podes comentar a " a actualidade" porque é muito especifica das semanas onde foi escrita.

cota

essa cena do leao tem alguma conotaçao futebolistica relacionada ctg ou com a dona aqui do burgo?lol

Cármen disse...

Cota: O símbolo também ajuda à festa, mas mesmo que não estivesse lá era facilmente associável aos leões... por motivos de personalidade ÓBVIOS. :)
E, sim, foi precisamente por causa daquela conclusão que eu transcrevi o texto. Fiz questão de não referir a mensagem principal aqui nos comentários ao Rui, porque isso é o brinde: a cereja no topo do bolo.
Mas, sim, a mensagem principal da história é que o amor consegue superar tudo. :) Nota-se isso em pequenos detalhes ao longo de toda a obra... mas toda mesmo. Toda.

Rui: Burgo?! Fantástico. :))
Vou deixar essa mensagem subliminar por esclarecer ali com o Alphamale leonino. :p

Victória J. Esseker disse...

A J.K. viveu uns tempos em Portugal, como tradutora no Porto. Eu fui verificar e na verdade ele já existia antes mas acontece que na altura que ela esteve por cá estava a ultrapassar a morte da mãe, e então ela decidiu matar os pais do Harry. Acho que deve ter sido um escape para expressar a sua dor (mesmo assim é muito cruel xDD). Mas o facto é que a saga ganhou muita forma cá. Ah e ela teve uma filha e tudo com um tuga xD

Cármen disse...

Victória J. Esseker: o_O ...
As coisas que tu descobres.

Cármen disse...

Victória J. Esseker: É engraçado que tu não saibas o nome de todas as personagens de cor, mas que saibas imenso da vida pessoal da Rowling! xD

Cota disse...

Motivos de personalidade óbvios, é verdade, posso conferir =)

"Nota-se isso em pequenos detalhes ao longo de toda a obra... mas toda mesmo. Toda." (like /3)


Rui amigo, recaiu sobre mim a incumbência de fortalecer a chama verde dentro da dona do "Burgo".
E eu, de bravura no peito, aceitei o desafio com toda honra que ele confere.

Cármen disse...

Cota: Fortalecer... ou reacender? :))

Cota disse...

Fortalecer, que isso não é coisa que se apague xD

Cármen disse...

Cota: Tu bem vais sonhando... mas pronto, eu deixo-te estar. É um sonho inocente.

Cota disse...

Não devias brincar com a minha determinação, não devias não xD

Cármen disse...

Cota: Bem vi que não!